sábado, 21 de junho de 2014

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 6, 24-34

Salmo 88 (89) — “Eu firmei uma Aliança com meu servo, meu eleito, e eu fiz um juramento a Davi, meu servidor: Para sempre, no teu trono, firmarei tua linhagem, de geração em geração garantirei o teu reinado!” R: Guardarei eternamente para ele a minha graça! — Guardarei eternamente para ele a minha graça e com ele firmarei minha Aliança indissolúvel. Pelos séculos sem fim conservarei sua descendência, e o seu trono, tanto tempo quanto os céus, há de durar”. R: Guardarei eternamente para ele a minha graça! — “Se seus filhos, porventura, abandonarem minha lei e deixarem de andar pelos caminhos da Aliança; se, pecando, violarem minhas justas prescrições e se não obedecerem aos meus santos mandamentos: R: Guardarei eternamente para ele a minha graça! — Eu então, castigarei os seus crimes com a vara, com açoites e flagelos punirei as suas culpas. Mas não hei de retirar-lhes minha graça e meu favor e nem hei de renegar o juramento que lhes fiz. R: Guardarei eternamente para ele a minha graça! ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 6, 24-34 - Aleluia, Aleluia, Aleluia! - Jesus Cristo, Senhor nosso, embora sendo rico, para nós se tornou pobre, a fim de enriquecer-nos mediante sua pobreza (2Cor 8, 9) Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus: Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 24“Ninguém pode servir a dois senhores: pois, ou odiará um e amará o outro, ou será fiel a um e desprezará o outro. Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro. 25Por isso eu vos digo: não vos preocupeis com a vossa vida, com o que havereis de comer ou beber; nem com vosso corpo, com o que havereis de vestir. Afinal a vida não vale mais do que o alimento, e o corpo, mais do que a roupa? 26Olhai os pássaros dos céus: eles não semeiam, não colhem, nem ajuntam em armazéns. No entanto, vosso Pai que está nos céus os alimenta. Vós não valeis mais do que os pássaros? 27Quem de vós pode prolongar a duração da própria vida, só pelo fato de se preocupar com isso? 28E por que ficais preocupados com a roupa? Olhai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham nem fiam. 29Porém, eu vos digo: nem o rei Salomão, em toda a sua glória, jamais se vestiu como um deles. 30Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é queimada no forno, não fará ele muito mais por vós, gente de pouca fé? 31Portanto, não vos preocupeis, dizendo: Que vamos comer? Que vamos beber? Como vamos nos vestir? 32Os pagãos é que procuram essas coisas. Vosso Pai, que está nos céus, sabe que precisais de tudo isso. 33Pelo contrário, buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão dadas por acréscimo. 34Portanto, não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã terá suas preocupações! Para cada dia, bastam seus próprios problemas”. - Palavra da salvação - Glória a Vós, Senhor

segunda-feira, 9 de junho de 2014

DOIS ANOS E CINCO MESES DO PASSAMENTO DE MINHA QUERIDA MÃE!

07 DE JUNHO DE 2014 HOJE FEZ DOIS ANOS E CINCO MESES .,DO PASSAMENTO DE MINHA QUERIDA MÃE “ JULIETA SAGHI CHAHUD” Hoje em 07 de Junho de 2014 ,faz 2 anos e 5 meses que a minha querida Mãe foi para o Reino de DEUS lá no Céu. Hoje na Igreja o Padre falou sobre todos os nossos entes queridos que estão no Céu , e fizemos todos a Oração para o nosso bom DEUS amado em memória de cada um de nossos entes amados que estão lá no Reino de DEUS lá no Céu! Mamãe querida, quantas saudades de vossos conselhos , de vossas orientações de vossas palavras de amor, e de carinho , sem sobre de dúvidas , à senhora Mamãe foi sempre uma mulher sábia ,educou seus filhos sempre da melhor forma possível ,ajudou a todos os seus irmãos e irmãs além disso cuidou muito bem da senhora vossa Mãe a avó Alzira que também esta lá no Céu. Saudades Mamãe de nossas conversas do dia a dia ,à senhora mamãe sempre muito preocupada com a minha saúde, sempre me orientando e me passando seus valiosos conselhos ., Sim mamãe !! Saudades Mamãe Saudades!! Louvado seja o santo e Bendito nome do Senhor nosso bom DEUS de misericórdia!!

sexta-feira, 6 de junho de 2014

11 DE JUNHO COMEMORA-SE A BATALHA NAVAL DO RIACHUELO - 148 ANOS

Batalha Naval de Riachuelo 148 Anos Coube ao Almirante Joaquim Marques Lisboa, Visconde de Tamandaré, depois Marquês de Tamandaré, o comando das Forças Navais do Brasil em Operações de Guerra contra o Governo do Paraguai. A Marinha do Brasil representava praticamente a totalidade do Poder Naval presente no teatro de operações. O Comando-Geral dos Exércitos Aliados era exercido pelo Presidente da República da Argentina, General Bartolomeu Mitre. As Forças Navais do Brasil não estavam subordinadas a ele, de acordo com o Tratado da Tríplice Aliança. A estratégia naval adotada pelos aliados foi o bloqueio. Os rios Paraná e Paraguai eram as artérias de comunicação com o Paraguai. As Forças Navais do Brasil foram organizadas em três Divisões - uma permaneceu no Rio da Prata e as outras duas subiram o Rio Paraná para efetivar o bloqueio. Com o avanço das tropas paraguaias ao longo da margem esquerda do Paraná, na Província de Corrientes, Tamandaré resolveu designar seu Chefe do Estado-Maior o Chefe-de-Divisão (posto que correspondia a comodoro, ou almirante de uma estrela em outras Marinhas) Francisco Manuel Barroso da Silva, para comandar a força naval que estava rio acima. Barroso partiu de Montevidéu em 28 4, na Fragata Amazonas, e se juntou à força naval em Bela Vista. A primeira missão de Barroso foi um ataque à cidade de Corrientes, que estava ocupada pelos paraguaios. O desembarque ocorreu, com bom êxito, em 25 de maio. Não era possível manter a posse dessa cidade na retaguarda das tropas invasoras e foi preciso, logo depois, evacuá-la, mas o ataque deteve o avanço paraguaio para o sul, ao longo do Rio Paraná. Ficou evidente que a presença da força naval brasileira deixaria o flanco dos invasores sempre muito vulnerável. Era necessário destruí-la, e isso motivou Solano López a planejar a ação que levaria à Batalha Naval do Riachuelo. A Força Naval Brasileira que bloqueava o rio Paraná estava fundeada ao lado do Chaco, a 25 km ao sul de Corrientes e fronteiro a um monumento denominado A Coluna, ereto na margem esquerda do rio. Era composta de 11 navios, mas no dia da batalha contava só com 9; outros dois: as canhoneiras Itajái e Ivaí encontravam-se destacadas em ponto distante rio abaixo. A força era formada pela 2ª e 3ª Divisões da Esquadra. A frota composta de nove navios de guerra estava armada com 59 bocas de fogo, sendo tripulado por 1 113 fuzileiros navais e 1 174 soldados do Exército Imperial. Somavam um total de 2 287 homens. Seu comandante em chefe era o Almirante Francisco Manuel Barroso da Silva.

domingo, 1 de junho de 2014

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 28, 16-20

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 28, 16-20 - Aleluia, Aleluia, Aleluia! - Ide ao mundo, ensinai aos povos todos; convosco estarei, todos os dias, até o fim dos tempos, diz Jesus (Mt 28, 19s) Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus: Naquele tempo, 16os onze discípulos foram para a Galileia, ao monte que Jesus lhes tinha indicado. 17Quando viram Jesus, prostraram-se diante dele. 18Então, Jesus aproximou-se e falou: "Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra. 19Portanto, ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo 20e ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei! Eis que eu estarei convosco todos os dias, até o fim do mundo". - Palavra da salvação - Glória a Vós, Senhor