terça-feira, 6 de dezembro de 2016

8 DE DEZEMBRO COMEMORA-SE O DIA DE IMACULADA CONCEIÇÃO (VIRGEM MARIA NOSSA SENHORA )


IMACULADA CONCEIÇÃO 8 Dezembro Comemora-se o dia de Imaculada Conceição A Imaculada Conceição é uma festa litúrgica da Igreja Católica celebrada em 8 de Dezembro. A afirmação da Imaculada Conceição de Maria pertence à fé cristã. É um dogma da Igreja que foi definido no século XIX, após longa história de reflexão e de amadurecimento. Imaculada Conceição de Maria significa que a Virgem Maria foi preservada do pecado original desde o primeiro instante de sua existência. Nascendo, há dois mil anos, na zona da Palestina, Nossa Senhora teve como pais São Joaquim e Santa Ana. A maternidade divina de Maria é base e origem de sua imaculada conceição. A razão de Maria ser preservada do pecado original reside em sua vocação: ser Mãe de Jesus Cristo, o Filho de Deus que assumiu nossa natureza humana. Ainda que de maneira implícita, a Igreja encontrou na Bíblia os fundamentos desta doutrina. Em seu Evangelho, São Lucas diz que Maria é “cheia de graça” (Lc 1,28), significando que ela está plena do favor de Deus, da graça divina. Se está totalmente possuída por Deus, não há, em sua vida e coração, lugar para o pecado. O dogma de Nossa Senhora foi proclamado pelo papa Pio IX, em 1854, resultado da devoção popular aliada a intervenções papais e infindáveis debates teológicos. No Brasil existem cerca de 533 paróquias dedicadas à Virgem Imaculada. A primeira imagem chegou em uma das naus de Pedro Álvares Cabral. O culto à Imaculada Conceição no Brasil teve início na Bahia, quando Tomé de Souza chegou a Salvador trazendo uma escultura da santa. Ela foi protetora do nosso país no período colonial e foi proclamada Padroeira do Império Brasileiro por D.Pedro I. Já no despontar do século XX o título cedeu lugar a Nossa Senhora de Aparecida, que é uma antiga imagem da Imaculada Conceição encontrada nas águas do rio Paraíba do Sul. Composição: Roberto Carlos / Erasmo Carlos Cubra-me com seu manto de amor Guarda-me na paz desse olhar Cura-me as feridas e a dor me faz suportar Que as pedras do meu caminho Meus pés suportem pisar Mesmo ferido de espinhos me ajude a passar Se ficaram mágoas em mim Mãe tira do meu coração E aqueles que eu fiz sofrer peço perdão Se eu curvar meu corpo na dor Me alivia o peso da cruz Interceda por mim minha mãe junto a Jesus Nossa Senhora me de a mão Cuida do meu coração Da minha vida do meu destino Nossa Senhora me dê a mão Cuida do meu coração Da minha vida do meu destino Do meu caminho Cuida de mim Sempre que o meu pranto rolar Ponha sobre mim suas mãos Aumenta minha fé e acalma o meu coração Grande é a procissão a pedir A misericórdia o perdão A cura do corpo e pra alma a salvação Pobres pecadores oh mãe Tão necessitados de vós Santa Mãe de Deus tem piedade de nós De joelhos aos vossos pés Estendei a nós vossas mãos Rogai por todos nós vossos filhos meus irmãos Nossa Senhora me de a mão Cuida do meu coração Da minha vida do Meu destino Do meu caminho Cuida de mim...

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

15 DE OUTUBRO COMEMORAMOS O DIA DO MESTRE DIA DO PROFESSOR(A) AO MESTRE COM CARINHO !!


Ao Mestre Com Carinho, "To sir, with love" Ano: 1967 Dublagem Clássica Versão Brasileira Herbert Richers DIA 15 DE OUTUBRO No dia 15 de Outubro lembramos do dia do Professor(ra) eu me lembro de minha professora primaria em meu tempo de Grupo Escolar no Colégio Nossa senhora da Salette, à Rua doutor Zuquim alto de santana São Paulo SP .,lembro-me das aulas da irmã Rita (EM MEMÓRIA) uma freira de coração em cristo e de muito amor aos seus alunos. Lembro-me ainda da transferência de do Grupo Escolar da Nossa Senhora da Salette , para o Instituto Luíza de Marillac a Rua Voluntários da Pátria aonde eu e minha irmã terminamos de o ensino básico e o Ginásio e eu fui para um colégio de Padres ,o conhecido colégio DOM BOSCO no bairro da luz para fazer o CIENTIFICO (hoje é conhecido como ensino médio) os 3 anos do curso do CIENTIFICO era tudo o que se podia aprender de bom foi no cientifico que aprendi o LATIM ,escrita ,oratória e leitura, também foi no cientifico que aprendi algebra geometria a chamada matemática moderna, e foi também no cientifico que eu aprendi a leitura de CARTOGRAFIA ., leitura de mapas etc.. depois que me formei fiz o vestibular para a USP entrei para a faculdade e fui fazer o curso de Ciências e Letras da universidade de São Paulo. fiz este breve relato para desejar a todos(as) professores e professoras dedicados empenhados em ensinar desde os mais jovens até os alunos mais crescidos e adultos. A todos os Mestres receba você o meu carinho e a minha eterna gratidão. Feliz dia do Professor(ra) Parabéns!! Prof.William Saghi Chahud

terça-feira, 6 de setembro de 2016

94 Anos da Oficialização do Hino Nacional Brasileiro


6 de Setembro - Dia da Oficialização da Letra do Hino Nacional 94 Anos da Oficialização do Hino Nacional Brasileiro O Hino Nacional Brasileiro foi instituído pelo Decreto 171/1890, de 20 de janeiro de 1890 e sua letra oficializada pelo Decreto 15.861/1922, de 06 de setembro de 1922. Em 1936, o então Presidente Getúlio Vargas determinou a obrigatoriedade da execução do Hino Nacional em todos os estabelecimentos de ensino públicos ou privados do país, através da Lei 259/1936 de 01 de outubro de 1936. A Lei 5.454 de 31 de julho de 1942 determina que: – o andamento do Hino Nacional deverá ser de 120 batidas por minuto; – é obrigatória a tonalidade Bb (Si bemol) para execução instrumental; – nos casos de simples execução instrumental a música será tocada integralmente sem repetição e, nos casos de execução vocal, a música deverá ser cantada nas duas partes do poema; – o canto será sempre em uníssono. No Capítulo IV, o artigo 26 determina que “é vedada a execução de quaisquer arranjos vocais do Hino Nacional, a não ser o de Alberto Nepomuceno e igualmente não será permitida a execução de arranjos artísticos instrumentais do Hino Nacional que não sejam autorizadas pelo Ministério da Educação”. Anos depois, pela Lei 5.700 de 1º de setembro de 1971 surgem algumas alterações: – a marcha batida, de autoria do mestre de música Antão Fernandes, integrará as instrumentações de orquestra e banda, nos casos de execução do Hino Nacional; – Nas cerimônias em que se tenha de executar um Hino Nacional Estrangeiro, este deve, por cortesia, preceder o Hino Nacional Brasileiro. Em 1981, o então Presidente João Figueiredo promulgou a Lei 6.913/1981, em 27 de maio do mesmo ano, que considera contravenção o descumprimento do disposto na Lei 5.700/1971, estipulando multa de um a quatro vezes o maior valor de referência nacional (na prática, de um a quatro salários mínimos). Em caso de reincidência, este valor deverá ser dobrado. Em 22 de setembro de 2009, entrou em vigor a Lei que obriga a execução semanal do Hino Nacional nas escolas públicas e particulares do ensino fundamental. De autoria do deputado federal Lincoln Portela, de Minas Gerais, a Lei foi sancionada por José Alencar, à época presidente em exercício. Todas estas Leis continuam valendo, pois nenhuma delas foi revogada.

domingo, 21 de agosto de 2016

25 DE AGOSTO COMEMORA-SE O DIA DO SOLDADO BRASILEIRO


LUIZ ALVES DE LIMA E SILVA - DUQUE DE CAXIAS Duque de Caxias (1803-1880) foi um militar brasileiro. Foi nomeado Patrono do Exército. Recebeu o título de Barão de Caxias. Foi nomeado comandante das Armas da Corte. Recebeu o título de conde e foi escolhido para o Senado por D. Pedro II. Recebeu o título de marquês. Com 66 anos recebe o título de duque. No dia 25 de agosto, dia do seu nascimento, é comemorado o dia do soldado. Duque de Caxias (1803-1880) nasceu no município de Porto da Estrela, hoje Duque de Caxias, Rio de Janeiro, no dia 25 de agosto. Era filho do Tenente Francisco de Lima e Silva e Cândida de Oliveira Belo. Era neto do Coronel José Joaquim de Lima e Silva. Foi admitido como praça no dia 22 de novembro de 1808, no Regimento de Infantaria de Linha, com apenas cinco anos. Aos 14 anos entrou para o serviço efetivo. Com apenas 15 anos de idade ingressou na Escola Militar tornando-se alferes e ingressou para a Academia Real Militar. Em 1821, já tenente concluiu o curso de oficial. Lutou na Bahia no Batalhão do Imperador em 1822, contra os soldados portugueses que não aceitavam a independência do Brasil. Com a vitória do Batalhão, é promovido a capitão e com 21 anos recebe a Imperial Ordem do Cruzeiro, das mãos de D. Pedro I. Em 1825 foi chamado para manter a unidade nacional na Campanha da Cisplatina. Ganhou as insígnias de major e as comendas da Ordem de São Bento de Avis e Hábito da Rosa. Em 1831, após a abdicação de D. Pedro I, permaneceu ao seu lado e participou do Batalhão Sagrado, para manter a ordem no Rio de Janeiro. Organizou a Guarda Nacional que depois de transformou em Guarda Municipal Permanente. Em 1832 a guarda municipal lutou contra a tentativa de derrubar a Regência. Duque de Caxias casa-se com Ana Luísa do Loreto Carneiro Vianna, no dia 2 de fevereiro de 1833, ela com apenas 16 anos, neta da Baronesa de São Salvador de Campos. Em dezembro do mesmo ano nasce Luísa de Loreto. Em 24 de junho de 1836 nasce a segunda filha Ana de Loreto. O filho Luís Alves Júnior faleceu ainda na adolescência. Em 1837 foi promovido a tenente-coronel e seguiu para o Rio Grande do Sul para lutar na Revolução Farropilha. Já no Posto de Coronel em 1839, foi incumbido de governar o Maranhão, conseguindo derrotar a Balaiada. Regressou ao Rio de Janeiro em 1841, sendo logo solicitado para combater os revoltosos da província de São Paulo, do qual foi nomeado Vice-Presidente. Em 1842 foi nomeado comandante das Armas da Corte, cargo já ocupado por seu pai. Em abril de 1845 foi promovido a marechal-de-campo, recebe o título de conde e é escolhido para o Senado por D. Pedro II. Foi nomeado para a Pasta da Guerra em 1855, e Presidente do Conselho em 1862; foi promovido a Marechal Graduado no mesmo ano. Combateu em vários conflitos de fronteira no sul do Brasil. Volta ao Rio, vitorioso, e com o título de marquês. Duque de Caxias com 66 anos, recebe o título de Duque. No dia 23 de março de 1874 morre sua esposa. Em 1875 foi nomeado presidente do Conselho de Ministros. Após importantes vitórias, cansado e doente, retirou-se para a fazenda do Barão de Santa Monica, seu genro, hoje Ji-paraná, Rio de Janeiro. Retornou ainda ao Senado e foi Conselheiro de Estado Extraordinário. Luiz Alves de Lima e Silva morre no dia 7 de maio de 1880. Em 1962 foi nomeado pelo Governo Federal o Patrono do Exército. O dia 25 de agosto, dia de seu nascimento é celebrado o dia do soldado.

25 DE AGOSTO COMEMORA-SE O DIA DO SOLDADO BRASILEIRO


LUIZ ALVES DE LIMA E SILVA - DUQUE DE CAXIAS Duque de Caxias (1803-1880) foi um militar brasileiro. Foi nomeado Patrono do Exército. Recebeu o título de Barão de Caxias. Foi nomeado comandante das Armas da Corte. Recebeu o título de conde e foi escolhido para o Senado por D. Pedro II. Recebeu o título de marquês. Com 66 anos recebe o título de duque. No dia 25 de agosto, dia do seu nascimento, é comemorado o dia do soldado. Duque de Caxias (1803-1880) nasceu no município de Porto da Estrela, hoje Duque de Caxias, Rio de Janeiro, no dia 25 de agosto. Era filho do Tenente Francisco de Lima e Silva e Cândida de Oliveira Belo. Era neto do Coronel José Joaquim de Lima e Silva. Foi admitido como praça no dia 22 de novembro de 1808, no Regimento de Infantaria de Linha, com apenas cinco anos. Aos 14 anos entrou para o serviço efetivo. Com apenas 15 anos de idade ingressou na Escola Militar tornando-se alferes e ingressou para a Academia Real Militar. Em 1821, já tenente concluiu o curso de oficial. Lutou na Bahia no Batalhão do Imperador em 1822, contra os soldados portugueses que não aceitavam a independência do Brasil. Com a vitória do Batalhão, é promovido a capitão e com 21 anos recebe a Imperial Ordem do Cruzeiro, das mãos de D. Pedro I. Em 1825 foi chamado para manter a unidade nacional na Campanha da Cisplatina. Ganhou as insígnias de major e as comendas da Ordem de São Bento de Avis e Hábito da Rosa. Em 1831, após a abdicação de D. Pedro I, permaneceu ao seu lado e participou do Batalhão Sagrado, para manter a ordem no Rio de Janeiro. Organizou a Guarda Nacional que depois de transformou em Guarda Municipal Permanente. Em 1832 a guarda municipal lutou contra a tentativa de derrubar a Regência. Duque de Caxias casa-se com Ana Luísa do Loreto Carneiro Vianna, no dia 2 de fevereiro de 1833, ela com apenas 16 anos, neta da Baronesa de São Salvador de Campos. Em dezembro do mesmo ano nasce Luísa de Loreto. Em 24 de junho de 1836 nasce a segunda filha Ana de Loreto. O filho Luís Alves Júnior faleceu ainda na adolescência. Em 1837 foi promovido a tenente-coronel e seguiu para o Rio Grande do Sul para lutar na Revolução Farropilha. Já no Posto de Coronel em 1839, foi incumbido de governar o Maranhão, conseguindo derrotar a Balaiada. Regressou ao Rio de Janeiro em 1841, sendo logo solicitado para combater os revoltosos da província de São Paulo, do qual foi nomeado Vice-Presidente. Em 1842 foi nomeado comandante das Armas da Corte, cargo já ocupado por seu pai. Em abril de 1845 foi promovido a marechal-de-campo, recebe o título de conde e é escolhido para o Senado por D. Pedro II. Foi nomeado para a Pasta da Guerra em 1855, e Presidente do Conselho em 1862; foi promovido a Marechal Graduado no mesmo ano. Combateu em vários conflitos de fronteira no sul do Brasil. Volta ao Rio, vitorioso, e com o título de marquês. Duque de Caxias com 66 anos, recebe o título de Duque. No dia 23 de março de 1874 morre sua esposa. Em 1875 foi nomeado presidente do Conselho de Ministros. Após importantes vitórias, cansado e doente, retirou-se para a fazenda do Barão de Santa Monica, seu genro, hoje Ji-paraná, Rio de Janeiro. Retornou ainda ao Senado e foi Conselheiro de Estado Extraordinário. Luiz Alves de Lima e Silva morre no dia 7 de maio de 1880. Em 1962 foi nomeado pelo Governo Federal o Patrono do Exército. O dia 25 de agosto, dia de seu nascimento é celebrado o dia do soldado.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

20 DE JULHO COMEMORAMOS OS 143 ANOS DE NASCIMENTO DO PAI DA AVIAÇÃO BRASILEIRA E MUNDIAL


20 DE JULHO COMEMORAMOS OS 143 ANOS DE NASCIMENTO DO PAI DA AVIAÇÃO BRASILEIRA E MUNDIAL " ALBERTO SANTOS DUMONT " PATRONO DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA

20 DE JULHO COMEMORAMOS OS 143 ANOS DE NASCIMENTO DO PAI DA AVIAÇÃO BRASILEIRA E MUNDIAL


20 DE JULHO COMEMORAMOS OS 143 ANOS DE NASCIMENTO DO PAI DA AVIAÇÃO BRASILEIRA E MUNDIAL " ALBERTO SANTOS DUMONT " PATRONO DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA Alberto Santos Dumont, nascido em Palmira – MG (hoje Santos Dumont – MG), a 20 de julho de 1873, foi um engenheiro – apesar de não ter tido formação acadêmica nessa área – e pioneiro da aviação. Herdeiro de uma família de cafeicultores prósperos, interessava-se pela engenharia e logo adolescente pôde pilotar as locomotivas da fazenda de seu pai, devidamente autorizado. Também ajudava na manutenção das máquinas de café e da máquina de costura de sua mãe. Analisando o funcionamento das máquinas a vapor, das engrenagens e a transmissão das polias, aprendeu a lidar com equipamentos mecânicos. Seus avós paternos eram franceses e ele pôde se dedicar aos estudos da ciência e da mecânica vivendo em Paris. Ao contrário de outros aeronautas da época, deixava suas pesquisas como domínio público e sem registrar patentes. Ele foi o primeiro a decolar a bordo de um avião, impulsionado por um motor aeronáutico, apesar de alguns países considerarem os Irmãos Wright como os inventores do avião, por uma decolagem ocorrida em 17 de dezembro de 1903. Santos Dumont foi o primeiro a cumprir um circuito pré-estabelecido sob testemunho oficial de especialistas, jornalistas e da população parisiense. Em 23 de outubro de 1906, voou cerca de 60 metros e a uma altura de 2 a 3 metros com seu 14 Bis, no Campo de Bagatelle em Paris. Menos de um mês depois, repetiu o feito e, diante de uma multidão de testemunhas, percorreu 220 metros a uma altura de 6 metros.

9 DE JULHO COMEMORA-SE OS 84 ANOS DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932


Reivindicações Os paulistas exigiam do governo provisório a elaboração de uma nova Constituição e a convocação de eleições para presidentes. Exigiam também, de imediato, a saída do interventor pernambucano João Alberto e a nomeação de um interventor paulista. Os paulistas também criticavam muito a forma autoritária com que Vargas vinha conduzindo a política do país. Queriam mais democracia e maior participação na vida política do Brasil. As manifestações Com Vargas não atendeu as reivindicações dos paulistas, em maio de 1932 começaram uma série de manifestações de rua contrárias ao governo Vargas. Numa destas manifestações, houve forte reação policial, ocasionando a morte de quatro estudantes (Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo). As iniciais dos nomes destes estudantes (MMDC) transformou-se no símbolo da revolução. A Revolução Constitucionalista Em 9 de julho de 1932 teve início a Revolução Constitucionalista, que foi uma verdadeira guerra civil. Os paulistas fizeram uma grande campanha, usando jornais e rádios, conseguindo mobilizar grande parte da população. Os combates ocorreram, principalmente, no estado de São Paulo, região sul do Mato Grosso e região sul de Minas Gerais. Contando apenas com o apoio do sul do Mato Grosso, São Paulo enfrentou o poder militar do das forças armadas federais. O resultado foi a rendição e derrota paulista em 28 de setembro de 1932. Cerca de três mil brasileiros morreram em combate e mais de cinco mil ficaram feridos durante a revolução. Conclusão Embora derrotados, os paulistas conseguiram alcançar alguns objetivos. Entre eles, a Constituição que acabou sendo promulgada em julho de 1934, trazendo alguns avanços democráticos e sociais para o país.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

29 DE JUNHO COMEMORAMOS O SANTO DIA DE SÃO PEDRO


Biografia de São Pedro: São Pedro (1a.C-67) foi apóstolo de Cristo. É tido como o fundador da Igreja Cristã em Roma. É considerado pela Igreja Católica como seu primeiro papa. As principais fontes que relatam a vida de São Pedro são os quatro Evangelhos Canônicos, pertencentes ao novo testamento. Escritos originalmente em grego, em diferentes épocas, pelos discípulos Mateus, Marcos, João e Lucas, Pedro aparece com destaque em todas as narrativas evangélicas. São Pedro (1a.C-67) nasceu na Betsaida, na Galileia. Filho de Jonas e irmão do apóstolo André, seu nome de nascimento era Simão. Pescador, trabalhava com o irmão e o pai. Por indicação de João Batista, foi levado por seu irmão André, para conhecer Jesus Cristo. No primeiro encontro Jesus o chamou de Kepha, que em aramaico significava pedra, e traduzido para o grego Petros, determinando ser ele o apóstolo escolhido para liderar os primeiros pregadores da fé cristã pelo mundo. Nessa época de seu encontro com Cristo, Pedro morava em Cafarnaum, com a família de sua mulher. Pedro foi escolhido como o chefe da cristandade aqui na terra: "E eu te digo: Tu és pedra e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares sobre a terra, será ligado também nos céus". Convertido, despontou como líder dos doze apóstolos, foi o primeiro a perceber em Jesus o filho de Deus. Junto com seu irmão e os irmãos Tiago e João Evangelista, Pedro fez parte do círculo íntimo de Jesus entre os doze apóstolos. Participou dos mais importante milagres do Mestre sobre a terra. Foi o primeiro apóstolo a ver Cristo após a Ascensão. Presidiu a assembléia dos apóstolos que escolheu Matias para substituir Judas Iscariotes. Fez seu primeiro sermão no dia de Pentecostes e peregrinou por várias cidades. Encontrou-se com São Paulo em Jerusalém, e apoiou a iniciativa deste, de incluir os não judeus na fé cristã, sem obrigá-los a participarem dos rituais de iniciação judaica. Após esse encontro foi preso por ordem do rei Agripa I. Foi encaminhado à Roma durante o reinado de Nero, onde passou a viver. Ali fundou e presidiu a comunidade cristã, base da Igreja Católica Romana, e por isso segundo a tradição, foi executado por ordem de Nero. Conta-se também que pediu para ser crucificado de cabeça para baixo, por se julgar indigno de morrer na mesma posição de Cristo. Seu túmulo se encontra sob a catedral de S. Pedro, no Vaticano, e é autenticado por muitos historiadores. É festejado no dia 29 de junho, um dia de importantes manifestações folclóricas, principalmente no Nordeste brasileiro. 29

segunda-feira, 2 de maio de 2016

5 DE MAIO COMEMORA-SE O DIA DAS COMUNICAÇÕES NO BRASIL


5 DE MAIO COMEMORA-SE O DIA DAS COMUNICAÇÕES NO BRASIL Marechal Rondon (1865-1958) foi militar e sertanista brasileiro. Foi o idealizador do Parque Nacional do Xingu e Diretor do Serviço de Proteção ao Índio. Ingressou na Escola Militar do Rio de Janeiro em 1881 e depois foi transferido para a Escola Superior de Guerra. Ficou na Escola Militar até 8 de janeiro de 1890, quando foi graduado ao posto de capitão-engenheiro. Ingressou na Comissão Construtora de Linhas Telegráficas, partindo do Rio de Janeiro até Cuiabá, posteriormente de Cuiabá ao Acre. Atravessou o sertão desconhecido, na maior parte habitado por índios bororos, caiamos, terenas e guaicuru. Abriu estradas, expandiu o telégrafo e ajudou a demarcar as terras indígenas. Marechal Rondon (1865-1958) nasceu no dia 5 de maio, em Mimoso, hoje Santo Antonio de Leverger, Mato Grosso. Filho de Cândido Mariano e Claudina Lucas Evangelista, esta descendente de índios Bororos. Ficou órfão ainda criança e foi criado por um tio, que era Capitão da Guarda Nacional. Por insistência do tio, foi estudar em Cuiabá na Escola Mestre Cruz e no ano seguinte na Escola Pública Professor João B. de Albuquerque. Em 1879 entrou para o liceu Cuiabano e em 1881 formou-se professor. Em 1881 foi para a Escola Militar no Rio de Janeiro. Com autorização do Ministério da Guerra, Cândido Mariano da Silva incorporou o nome Rondon, em homenagem ao tio que lhe criou, Manuel Rodrigues da Silva Rondon. Nesse mesmo ano o Governo Imperial cria a Escola Superior de Guerra, para onde Rondon é transferido. Marechal Rondon foi indicado componente da Comissão Construtora das Linhas Telegráficas, para explorar os sertões do Mato Grosso, no ano de 1892. Casou-se no dia 1 de fevereiro e partiu para Cuiabá com a esposa. Rondon passou a cuidar dos direitos dos índios. Sua tese era esta: "Matar nunca, morrer se necessário". Em 1906 o Presidente Afonso Pena o encarregou de ligar Cuiabá ao Acre, que havia sido incorporado ao País, fechando o circuito telegráfico nacional. Em 1907 descobriu o rio Jurema. Efetuou uma expedição às margens do Amazonas junto com Teodore Roosevelt no ano de 1913. Tinha como objetivos obter material para o Museu de História Natural de Nova York e de fixar com maior precisão certos detalhes geográficos, além de definir o traçado definitivo do rio Roosevelt. Do ano de 1927 a 1930, foi responsável por inspecionar as fronteiras do Brasil, do Oiapoque até a divisa da Argentina com o Uruguai. Criou o Serviço Nacional de Proteção ao Índio e foi elogiado em 1913 pelo Congresso das Raças em Londres, ressaltando que a obra de Rondon deveria ser imitada para honra da Civilização Mundial. Recebeu o título de Civilizador do Sertão, no ano de 1939 pelo IBGE, pelo trabalho realizado junto aos índios. Foi considerado grande chefe pelos índios silvícolas, e pelos civilizados Marechal de Paz. No ano de 1956 Rondon recebeu uma grande homenagem, foi dado ao Território do Guaporé o seu nome, que hoje é denominado Estado de Rondônia. Cândido Mariano da Silva Rondon morreu no dia 19 de janeiro de 1958, no Rio de Janeiro.

COMEMOROU-SE EM 28 DE ABRIL OS 77 ANOS DE CRIAÇÃO DOS ESCOTEIROS DO AR NO BRASIL E NO MUNDO !!


Comemora-se em 28 de Abril de 2016 os 77 Anos de Criação da Federação Brasileira dos Escoteiros do Ar no Brasil e No Mundo. EM 28 DE ABRIL COMEMORA-SE O DIA DOS ESCOTEIROS DO AR NO BRASIL E NO MUNDO Escotismo Modalidade do Ar O Escotismo do Ar, não foi idealizada pelo fundador, Baden-Powell, das outras duas modalidades, básica e Modalidade do Mar, nem mesmo na Inglaterra, a Modalidade tem sua origem no Brasil. Dia 28 de abril de 1939, é oficializado o primeiro Grupo Escoteiro da Modalidade do Ar, o Grupo Escoteiro do Ar Tenente Ricardo Kirk, tendo como responsável o 1 sargente rádio Telegrafista de bordo e chefe Escoteiro Jayme Janeiro Rodriguês o Major Aviador Godofredo Vidal, o Tenente Coronel Aviador Vasco Alves Secco , na época servindo no 5º Regimento de Aviação Militar do Exército , atual CINDACTA II, em Bacaxeri Curitiba. Em 19 de abril de 1944, foi criada a Federação Brasileira de Escoteiros do Ar, a qual congregava todos Grupos Escoteiros da Modalidade, na época se restringindo aos Estados do Paraná, Rio de Janeiro , São Paulo, Mato Grosso, Santa Catarina ,Rio grande do Sul, e Minas Gerais O Brigadeiro Nero Moura, em 6 de julho de 1951, então Ministro da Aeronáutica, reconhecendo a tamanha expansão registrada e seus valiosos objetivos, entre eles o de incentivar o interesse dos jovens pela aeronáutica, determinou que todas as unidades da Força Aérea Brasileira dessem total apoio à Modalidade do Ar, o que acontece até os dias presentes. PORTARIA Número 262 de 6 de Julho de 1951 Determinações para que prestem toda a assistência as tropas escoteiras do ar propugnando facilidades e auxilio: O Ministro de Estado dos Negócios da Aeronáutica ,considerando que a Federação Brasileira de Escoteiros do Ar F. B. E. Ar é uma sociedade civil legalmente registrada e reconhecida de utilidade pública pelo Decreto número 28.357 de 11 de julho de 1950;que é a única entidade oficial dirigente do Escotismo do Ar no Brasil ,reconhecida e sob o alto patrocínio do Ministério da Aeronáutica; que é uma instituição educacional e patriótica cujo objetivo principal concorre para a formação moral, cívica,intelectual e física dos jovens entusiastas da Aviação;que,para uma perfeita consecução de seu programa educacional,necessita de uma intima cooperação entre as autoridades militares e civis e as organizações escoteiras do ar;que essa cooperação deve visar a obtenção dum eficiente preparo e desenvolvimento desses jovens numa sadia mentalidade aviatória ,mediante consentanea propaganda e instrução de futuros candidatos tão recomendáveis a formação das reservas de aeronáutica, Resolve: Determinar que os comandos de Zonas Aéreas e Diretores Gerais e de serviços e bem assim de Estabelecimentos da Aeronáutica ,prestem toda a assistência às tropas escoteiras do ar propugnando facilidades e auxilio para: a) a realização de visitas às unidades e estabelecimentos da aeronáutica; b) a organização de programas de demonstração e apresentação de equipamento educacional sintético ,filmes de instrução e outros que mais se adaptam aos programas educacionais dos escoteiros do ar; c) a realização de acampamentos de tropas escoteiras junto aos terrenos das Bases e Estabelecimentos de Aeronáutica; d) a transferência por cessão quando possível ,de material fora do tipo ,inservível e de acordo com a legislação em vigor. A F.B.E.Ar deverá credenciar seus órgãos dirigentes regionais junto aos comandos das Zonas Aéreas e estabelecer sempre entendimentos prévios para aquela assistência e para instrução que desejar ser programada. BOLETIM DO MINISTÉRIO DA AERONÁUTICA Os Comandos de Zonas Aéreas poderão designar Oficiais de Ligação entre os órgãos dirigentes da F.B.E.Ar e aqueles Comandos , a fim de melhor facilitar os entendimentos e as relacões amistosas que devem existir sempre entre as tropas escoteiras do ar e a Força Aérea Brasileira Major Brigadeiro do Ar - Nero Moura , Ministro da Aeronáutica (D.O. 11 .07.1951) Esta portaria foi reconfirmada em 1981 pelo Ten.-Brig.-do-Ar Délio Jardim de Mattos e reformulada e substituída pela portaria 914 de 29 de Setembro de 2003 pelo Ten.-Brig.-do-Ar Luis Carlos da Silva Bueno. Modalidade do Ar O Escotismo Modalidade do Ar procura desenvolver nos jovens, além dos valores da Modalidade Básica, o gosto pelo aeromodelismo, aeroplanos, pelos problemas de aeroportos, aeronavegação, aeropropulsão, pelo pára-quedismo e pelos esportes aéreos, pelo estudo da meteorologia e da cosmografia, pelo mundo aeroespacial e pela cosmonáutica, incentivando o culto das tradições da aeronáutica do país. As ênfases educativas das Modalidades do Mar e do Ar são sugeridas aos Ramos Escoteiro e Sênior. No Ramo Lobinho o desenvolvimento nas Modalidades do Mar e do Ar ocorrem sob forma de atividades especiais, especialidades, etc. No Ramo Pioneiro se reflete em Projetos de Equipes de Interesse. Observamos da Esquerda para a Direita os Três militares do Exército Brasileiro do 5 regimento de Aviação militar . Foram os Criadores e Fundadores dos Escoteiros do Ar do Brasil e do Mundo são eles: Da Esquerda para a Direita Vemos o então: 1 Sargento Rádio Telegrafista de Bordo ,JAYME JANEIRO RODRIGUÊS . O Major Aviador GODOFREDO VIDAL e o Coronel Aviador VASCO ALVES SECCO Comandante da Unidade do Exército em Bacaxeri Curitiba Paraná. Os Primeiros Escoteiros do Grupo Escoteiro do Ar Ricardo Kirk , Foram os 4 filhos do Lendário e Saudoso Chefe JAYME JANEIRO RODRIGUÊS Foram Eles : Escoteiros do Ar MILTON JANEIRO, DJALMA JANEIRO, WILSON JANEIRO e ANTONIO JANEIRO ambos os jovens filhos do então 1 Sargento Rádio Telegrafista de Bordo do Exército Brasileiro .

quinta-feira, 21 de abril de 2016

O 22 de abril de 1945 - Dia da Aviação de Caça


O 22 de abril de 1945 - Dia da Aviação de Caça O dia amanheceu frio, encoberto e com nevoeiro. As tres esquadrilhas do Grupo levantaram vôo a partir das 8h30min a intervalos de 5min entre cada uma, a fim de atacar alvos na região de San Benedetto, destruindo pontes, balsas e veículos motorizados. O símbolo (ou "bolacha") do 1ºGpAvCa foi idealizado pelosTen.-Av. Rui Moreira Lima, Ten.-Av. José Rebelo Meira de Vasconcelos, Ten.-Av. Lima Mendes e pelo Cap.-Av. Fortunato C. de Oliveira, e desenhado por este último, quando do deslocamento do Grupo para a Itália, a bordo do navio transporte UST Colombie. Sua composição pode ser descrita, conforme as palavras do próprio autor, como segue: A moldura auriverde simboliza o Brasil; O campo rubro sobre o qual se situa o avestruz guerreiro representa o céu de guerra onde combatiam os pilotos de caça; A parte inferior, onde está pousada a figura principal, são as nuvens brancas, o chão do aviador; O escudo azul com a constelação do Cruzeiro do Sul é o símbolo usual que caracteriza as forças armadas do Brasil; O avestruz representa o piloto de caça brasileiro, tendo como inspiração a fisionomia do Ten.-Av. Lima Mendes, com seu perfil aquilino, e ainda o estômago dos veteranos do 1ºGpAvCa; O quepe branco caracteriza mais nitidamente a sua nacionalidade (parte do uniforme da FAB, à época); A arma empunhada pelo avestruz é a representação do poder de fogo do P-47, com suas oito metralhadoras .50; O dístico "Senta a Pua!" é o grito de guerra do 1ºGpAvCa; O risco, à direita, que é encimado pela explosão de um obus, foi acrescentado posteriormente, quando o 1ºGpAvCa entrou em combate, e representa a incessante e certeira ação da artilharia antiaérea inimiga que fustigava os caçadores no teatro italiano (tal adição só apareceu nas aeronaves recebidas como reposição por perdas). O uso de um avestruz como símbolo dos pilotos de caça brasileiros remonta ao início da década de 40, quando pilotos brasileiros eram enviados aos Estados Unidos para transladarem, por via aérea, as inúmeras aeronaves adquiridas pelo Brasil, tanto de combate como de treinamento. A estada naquele país trouxe aos pilotos novidades quanto aos hábitos alimentares: feijão açucarado ("baked beans"), ovos e leite em pó, dentre outros. O então Cel.-Av. Geraldo Guia de Aquino comparou-os a um bando de avestruzes e o apelido pegou. O grito de guerra "Senta a Pua!" foi sugerido pelo então Ten.-Av. Rui, o qual ouvira-a do então Cap.-Av. Firmino Alves de Araujo, na Base Aérea de Salvador; era uma expressão que concitava os companheiros e subordinados a cumprirem rapidamente as missões e ordens que dele recebiam. Ficou sendo, para a FAB, o equivalente ao "Tally-Ho!" britânico e ao "A la chasse!" dos franceses. Uma homenagem da Força Aérea Brasileira aos 70 anos do Dia da Aviação de Caça. A comemoração nessa data (20) relembra o 22 de abril de 1945, quando uma grande ofensiva do 1° Grupo de Aviação de Caça contra as forças alemãs contabilizou 44 missões de guerra em um único dia. 1- Imagens: CECOMSAER, 2°/5°GAV, ESQUADRÃO CENTAURO, 1º/16º GAV, 1º GAVCA, DOCUMENTÁRIO SENTA A PUA!