quarta-feira, 20 de abril de 2016

O 22 de abril de 1945 - Dia da Aviação de Caça


O 22 de abril de 1945 - Dia da Aviação de Caça O dia amanheceu frio, encoberto e com nevoeiro. As tres esquadrilhas do Grupo levantaram vôo a partir das 8h30min a intervalos de 5min entre cada uma, a fim de atacar alvos na região de San Benedetto, destruindo pontes, balsas e veículos motorizados. O símbolo (ou "bolacha") do 1ºGpAvCa foi idealizado pelosTen.-Av. Rui Moreira Lima, Ten.-Av. José Rebelo Meira de Vasconcelos, Ten.-Av. Lima Mendes e pelo Cap.-Av. Fortunato C. de Oliveira, e desenhado por este último, quando do deslocamento do Grupo para a Itália, a bordo do navio transporte UST Colombie. Sua composição pode ser descrita, conforme as palavras do próprio autor, como segue: A moldura auriverde simboliza o Brasil; O campo rubro sobre o qual se situa o avestruz guerreiro representa o céu de guerra onde combatiam os pilotos de caça; A parte inferior, onde está pousada a figura principal, são as nuvens brancas, o chão do aviador; O escudo azul com a constelação do Cruzeiro do Sul é o símbolo usual que caracteriza as forças armadas do Brasil; O avestruz representa o piloto de caça brasileiro, tendo como inspiração a fisionomia do Ten.-Av. Lima Mendes, com seu perfil aquilino, e ainda o estômago dos veteranos do 1ºGpAvCa; O quepe branco caracteriza mais nitidamente a sua nacionalidade (parte do uniforme da FAB, à época); A arma empunhada pelo avestruz é a representação do poder de fogo do P-47, com suas oito metralhadoras .50; O dístico "Senta a Pua!" é o grito de guerra do 1ºGpAvCa; O risco, à direita, que é encimado pela explosão de um obus, foi acrescentado posteriormente, quando o 1ºGpAvCa entrou em combate, e representa a incessante e certeira ação da artilharia antiaérea inimiga que fustigava os caçadores no teatro italiano (tal adição só apareceu nas aeronaves recebidas como reposição por perdas). O uso de um avestruz como símbolo dos pilotos de caça brasileiros remonta ao início da década de 40, quando pilotos brasileiros eram enviados aos Estados Unidos para transladarem, por via aérea, as inúmeras aeronaves adquiridas pelo Brasil, tanto de combate como de treinamento. A estada naquele país trouxe aos pilotos novidades quanto aos hábitos alimentares: feijão açucarado ("baked beans"), ovos e leite em pó, dentre outros. O então Cel.-Av. Geraldo Guia de Aquino comparou-os a um bando de avestruzes e o apelido pegou. O grito de guerra "Senta a Pua!" foi sugerido pelo então Ten.-Av. Rui, o qual ouvira-a do então Cap.-Av. Firmino Alves de Araujo, na Base Aérea de Salvador; era uma expressão que concitava os companheiros e subordinados a cumprirem rapidamente as missões e ordens que dele recebiam. Ficou sendo, para a FAB, o equivalente ao "Tally-Ho!" britânico e ao "A la chasse!" dos franceses. Uma homenagem da Força Aérea Brasileira aos 70 anos do Dia da Aviação de Caça. A comemoração nessa data (20) relembra o 22 de abril de 1945, quando uma grande ofensiva do 1° Grupo de Aviação de Caça contra as forças alemãs contabilizou 44 missões de guerra em um único dia. 1- Imagens: CECOMSAER, 2°/5°GAV, ESQUADRÃO CENTAURO, 1º/16º GAV, 1º GAVCA, DOCUMENTÁRIO SENTA A PUA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui registrado seu comentário: