terça-feira, 2 de junho de 2009

ANTONIO SAGHI

Vemos ao lado o nosso querido Tio David,com colegas no lendário Campo de Marte aqui em Santana SP.
Abril de 1949.




(Foto tirada em 1965 ocasião das bodas de Ouro de Meus Queridos Avos e toda a família reunida em casa ,quantas saudades....)


SANTANA ANTIGA
Cronica de Jayme Janeiro Rodrigues
Você se Lembra ?
O Filho do Sheik foi o primeiro fotógrafo de Santana
Conforme havia prometido até Dezembro,final dos festejos dos 200 anos de Santana,escreverei fatos que se passaram no início deste século.
Vamos lembrar do primeiro fotógrafo de Santana(FOTO RECREIO)e porque não dizer da Zona Norte. Você se lembra? Isso mesmo aquele Sírio-Libanês magro,alto que morava na rua Voluntários da Pátria ao lado do Recreio Andreoni. Você se lembra do Recreio Andreoni ,que abrangia uma vasta área na rua,Voluntários da Pátria até onde hoje está a pastelaria do japonês e que da rua Dr.César ia até a rua saleta? Hoje está na esquina a casa pernambucana onde antigamente havia um bebedouro para animais .Era o Studio do nosso fotógrafo.
ANTONIO SAGHI era o seu nome ,filho do SHEIK ABDUL. Nasceu em Beirute em 1889.,filho de homem muito rico e por ocasião da primeira guerra mundial ,fugiu de Beirute num navio cargueiro dentro de sacos de palha como contrabando num porão so navio até os Estados Unidos e de lá para o Brasil ,vindo para São Paulo,Santana. Aqui constituiu família casando-se com dona.Alzira Miguel Nader de cujo matrimonio nasceram 9 filhos,4 mulheres e 5 homens . As Mulheres: Yolanda (já falecida) ,Julieta,Odete e Olinda todas residentes em nosso bairro Os homens:- David,Mário,Rodolfo, Eduardo e Roberto todos exercem a profissão de fotógrafo na Polícia Técnica de São Paulo ,com excepção de Roberto que tornou-se comerciante e hoje está instalado com uma casa de esfirras e doces sírios na rua Alfredo Pujol defronte da imobiliária Nilo Pinheiro.
Antonio Saghi nosso fotógrafo começou com um pequeno studio ali onde está localizado a pastelaria do japonês. Era o único fotógrafo de Santana e da Zona Norte até a cantareira. Ele era chamado para os casamentos ,batizados,festas em casa das chamadas famílias ricas de Santana e também exercia a profissão lá no jardim da luz,onde com um tripé de madeira;uma caixa esquisita ,um pano preto e um dispositivo de magnésio tirava fotografias dos matutos que vinham ver os bichos no jardim da luz.
Certa vez ,ele ao tirar uma foto de um casal ,colocou-se debaixo da aquele pano preto que cobria sua máquina e também a sua cabeça e de lá gritava pro casal;” Olha !levanta a cabeça pra ficá bunitinho,bunitinho,e depois para dá uma voltinha tudo bronto,bode levar a foto”. Em seguida ,aparece mais um casal de caipira com chapelão e espora e botas .O fotógrafo arrumou o casal bem direitinho e se enfiou de baixo do tal pano preto e depois saiu, - segurou uma vareta com um dispositivo na ponta com magnézio e quando disparou o tal dispositivo foi um estrondo tão grande e uma fumaceira danada que a melher do homem de bota desmaiou e caiu pra trás .O marido queria bater no fotógrafo e foi um salseiro danado para explicar que havia se enganado na cara.
Outra curiosidade do nosso fotógrafo Antonio Saghi ,filho do Sheik.Você se lembra das camas de ferro que nossos pais tinham? Eram de ferro e com os pés muito altos com duas bolas na cabeceira onde nossa mãe dependurava o rosário ,lembra-se? Os colchões eram de palha ou capim de barba de bode que íamos buscar no chora menino atrás do Cemitério. As colchas eram rendadas e compridas caindo dos lados da cama para esconder os pés de ferro e outra coisa ficava ali durante a noite …. o nosso fotógrafo não tinha câmara escura e sabem como ele revelava os filmes ou melhor as chapas? Ele colocava em cima da colcha um cobertor escuro que vinha até o chão e deitado debaixo da cama ele revelava os filmes. Parece piada,mas que diga seus filhos que aí estão vivos e morando em Santana . Eu ia me esquecendo. Os travesseiros eram também feitos de uma florzinha que íamos apanhar nos campos,era de marcela,uma florzinha amarela muito macia.
Depois de algum tempo melhorou seu studio na sala da frente e bem arrumado ficou o FOTO RECREIO – Lembram? Antonio Saghi alguns anos depois resolveu ir até o Líbano ,sabedor da morte de seu pai o Sheik ,para receber a sua parte da herança deixada pelo Sheik,porém ,quando lá chegou ,sua madrasta não lhe deu nada e assim voltou ao Brasil acompanhado de seu irmão que havia recebido pequena parte da fortuna so Sheik,porém ,mulherengo e boémio aqui no Brasil acabou ficando sem nada e acabou vivendo com o auxilio do nosso fotógrafo.
Antonio Saghi foi sem dúvida um grande fotógrafo ,era muito inteligente ,humilde,e despretensioso ,ensinava a sua arte ao novos fotógrafos que iam surgindo em Santana. Ele tinha prazer de ensinar seus filhos,tanto assim que quatro deles tornaram-se fotógrafos da Polícia Técnica de São Paulo e ainda hoje seu neto Ricardo também lá exerce a profissão na Polícia Técnica . Antonio Saghi gostava muito de caçar e pescar . Seus companheiros eram benjamim ferreira,da confeitaria Polar,Alcides da Cunha Gabriel,da Sociedade Amigos de Santana e o velho sapateiro Carnavale ,todos disputavam quem era o melhor caçador ,mas na verdade eram os três maiores mentirosos na arte de caçar.
Antonio Saghi Faleceu em 1969 ,deixando nove filhos ,32 netos e 45 bisnetos todos residentes em Santana.
Dados extraídos do semanário: A Gazeta da Zona Norte em 04 de Setembro de 1982 – pagina 9.
Este ano faz 40 anos de passamento do meu saudoso e querido Avo Antonio Saghi .
Que o Nosso bom DEUS o abençoe com o sono dos justos meu querido Avo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui registrado seu comentário: